Topo

Guedes diz que lucro dos bancos é "mesmo excessivo" em meio à baixa competição

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Economia, Paulo Guedes, relacionou nesta terça-feira o alto lucro dos bancos no Brasil com a falta de competição no setor, e indicou que o governo considera eventual tributação sobre dividendos, mas mantendo a isenção no caso de reinvestimento na empresa. 

Ministro Paulo Guedes em sessão em comissão do Congresso 4/6/ 2019 REUTERS/Adriano Machado

“Lucro de bancos é alto mesmo, é muito alto. Sabe por que? São cinco, são seis. Duzentos milhões de brasileiros precisando pegar dinheiro e cinco bancos, seis bancos. Por isso que eu digo, precisamos de competição, a competição é boa”, disse o ministro na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados.

“Isso a gente precisa aprender: os lucros são enormes nos bancos, são mesmo excessivos, tem quatro bancos, tem um produtor de petróleo, tem duas refinadoras, tem uma distribuidora, tudo no Brasil está cartelizado. Nós precisamos botar competição nesse sistema”, acrescentou, após ser questionado sobre o bom resultado das instituições financeiras no primeiro trimestre a despeito da fraqueza na economia.

Guedes afirmou que o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, está “examinando tudo” e quer aumentar a competição no sistema. Nesse sentido, afirmou que o governo já criou a Empresa Simples de Crédito (ESC) para o dinheiro “chegar barato” às comunidades.

A ESC abre espaço para que cidadãos emprestem recursos em operações de crédito a terceiros. 

Em comunicações recentes, o BC indicou que quer trabalhar para aumentar a concorrência no sistema financeiro brasileiro, mas que a atual concentração não seria um problema.

Sozinhas, as cinco maiores instituições financeiras — Banco do Brasil (BBAS3.SA), Itaú (ITUB4.SA), Bradesco (BBDC4.SA), Caixa Econômica Federal e Santander (SANB11.SA) — responderam por 81,2% dos ativos totais do segmento bancário comercial em 2018.

Em seu Relatório de Economia Bancária, o BC indicou que o spread bancário está mais correlacionado com concorrência do que com a concentração do setor no país.

DIVIDENDOS

Perguntado sobre a possibilidade de tributação sobre dividendos, Guedes lembrou que o presidente Jair Bolsonaro foi eleito com a plataforma de não elevar impostos. 

Mesmo assim, ponderou que o governo pode considerar impostos sobre dividendos, mas mantendo a isenção no caso de reinvestimento.

“Posso botar imposto sobre dividendo, mas se deixar dentro da empresa não. Estimulo reinvestimento (dessa maneira)”, disse.

Tags:

FENECON - Federação Nacional dos Economistas  
Rua Marechal Deodoro, nº 503, sala 505 - Curitiba - PR  |  Cep : 80.020-320
Telefone: (41) 3014 6031 e (41) 3019- 5539 | atendimento: de 13 às 18 horas | trevisan07@gmail.com e sindecon.pr@sindecon-pr.com.br