Topo

Ilan defende câmbio flutuante e reservas para proteger economia brasileira de choques externos

(Reuters) - O presidente do Banco Central do Brasil, Ilan Goldfajn, defendeu neste domingo o regime de câmbio flutuante e o sistema de metas para inflação como mecanismos de defesa da economia doméstica contra choques externos.

Em apresentação realizada promovida pelo Banco Central de Israel e divulgada pelo BC brasileiro, Ilan disse que as economias emergentes estão sendo afetadas pela normalização da política monetária nas principais economias do mundo e por conflitos comerciais.

 

Diante deste cenário, Ilan também destacou o papel das reservas internacionais e das expectativas de inflação ancoradas para conter os efeitos dos choque externos.

 

As declarações de Ilan acontecem no momento em que a se discute qual será a política cambial e para a reservas internacionais do governo do presidente eleito Jair Bolsonaro.

O economista Paulo Guedes, futuro superministro da Fazenda do governo Bolsonaro, disse recentemente que as reservas internacionais poderão ser utilizadas para conter um ataque especulativo contra o real. Guedes também defendeu a permanência de Ilan à frente do BC como uma coisa natural.

Por Raquel Stenzel

Tags:

FENECON - Federação Nacional dos Economistas  
Rua Marechal Deodoro, nº 503, sala 505 - Curitiba - PR  |  Cep : 80.020-320
Telefone: (41) 3014 6031 e (41) 3019- 5539 | atendimento: de 13 às 18 horas | trevisan07@gmail.com e sindecon.pr@sindecon-pr.com.br