Topo

Pontos cegos

Ricardo Amorim

Most followed LatAm LinkedIn Influencer, Brazil’s most influential economist (Forbes), entrepreneur, TV host, speaker

Recentemente, ao final de uma palestra, recebi uma pergunta que me deixou bastante pensativo. Quais seriam nossos pontos cegos – aquilo que não vemos – mas que poderia afetar significativamente nossas vidas nos próximos anos?

Começando pelo lado positivo, e se, de repente, os resultados das próximas eleições revertessem a polarização crescente que rachou o país? Vai que elegemos gente que una os brasileiros ao redor de um projeto comum de país, ao invés de dividir-nos e jogar-nos uns contra outros...

Outra eventual surpresa positiva: e se a pandemia de coronavírus deixar de ser uma preocupação para a vida e os negócios dos brasileiros? Vai que quase todos se vacinam no Brasil, as vacinas se provam eficazes contra a Ômicron e outras futuras mutações e não chegamos a ter outra onda significativa da pandemia por aqui...

E se a decisão recente dos Emirados Árabes Unidos de reduzir a jornada de trabalho para quatro dias e meio por semana é o início de um movimento global onde, com mais robotização, inteligência artificial e outras tecnologias, teremos de trabalhar cada vez menos e teremos cada vez mais tempo livre para desfrutar?

Do lado negativo, começando pela política e suas consequências, e se a polarização se intensifica, o país racha, os resultados da eleição não são reconhecidos por uma parte significativa dos brasileiros, ocorre um golpe de estado ou o país entra em uma guerra civil?

E se a bolha imobiliária chinesa estoura, o setor financeiro mundial tem perdas colossais e ocorre outra crise financeira global, jogando o mundo em uma nova recessão global?

E se a alta da inflação que vimos no Brasil e no mundo em 2021 foi só a ponta do iceberg, marcando uma inversão de um movimento global de desinflação ao longo das últimas três décadas?

Por definição, não sabemos o que não sabemos, mas parece valer a pena um pequeno exercício para não ser pego de surpresa pelo que, talvez, não deveria ser tão surpreendente assim. E para você, o que poderia acontecer de bom ou de ruim que pouca gente imagina?

Tags:

FENECON - Federação Nacional dos Economistas  
Rua Marechal Deodoro, nº 503, sala 505 - Curitiba - PR  |  Cep : 80.020-320
Telefone: (41) 3014 6031 e (41) 3019- 5539 | atendimento: de 13 às 18 horas | trevisan07@gmail.com e sindecon.pr@sindecon-pr.com.br